quarta-feira, 12 de novembro de 2008

(à Graciete/Adelaide - prometido é devido, só nós três é que sabemos!)

Reflexos de uma vida

As brancas que se entranham,
Rugas desmedidas
Em loucuras consequentes
Por noites tão perdidas
Mulheres escaldantes
Banhos emersos a dois
flutes refrescantes
Vidas partilhadas a sós
Céus e estrelas cadentes
Meteoros em corpos ardentes!
E o futuro?…mera reflexão!
De um passado feito de emoção
De tudo aquilo que me veio,
me assiste…
No presente que não existe!
A água de uma mesma fonte,
Sobre a qual se faz a ponte
Entre vidas passadas e futuras,
Entre promessas e roturas
Entre o que fui e o que sou
O que tenho, o que dou.
Aquilo que posso viver: -
Amor, tempo e poesia!
Assim se faz meu dia…
Quem tiver sede pode beber
Vem, anda me conhecer
Sem medo de te afogares
Anda, vem… vamos a (esses) …mar !
Sais de Carvalho ( 3 da manhã de uma noite má... ou talvez não!)

22 comentários:

Adelaide disse...

Quais as palavaras que poderão ser ditas a um poeta/escritor, senão um Muito OBRIGADA.Continua inspirado, que momentos como este merecem ser vividos com intensidade!Oxalá todos comecem a aderir e o percebam! Bem-hajas!

Joaquim Leça disse...

Grande Rabiçais,

"Dá para o verso e muito mais,
Não fosse eu de Rabiçais!"
Jorge Rabiçais, poeta

Este poema só podia ter sido "gerado" às "3 da manhã de uma noite má... ou talvez não!"

Jorge, QUERO MAIS!!!

Grande Abraço!

Graciete disse...

Jorge Rabiçais,

O poeta que disse “aguardem, serei tão breve como um suspiro e tão intenso como o vosso desejo”, sentiu, na madrugada de S. Martinho, o apelo lírico do despertar.

Sinto-me profundamente honrada e agradecida por ter sido uma das tuas Musas inspiradoras, de qual poema de amores e desamores, de melancolia e alento.

Vejo que também tens um tempo PRESENTE e que acrescentas ao passado, o teu saber de te reinventares. Bem hajas, também por isso.

Que posso eu querer mais?

Que continues com este “Bom espírito” e a “dares a cara” a este Bolg, já que são poucos os que têm coragem para o fazer.

E...QUERO MAIS!

Joao Silva disse...

E tu Veloso ? deixas te ficar ?
eu sei que o rabiçais pós a fasquia alta mas tu es capaz !
Grandes noites de cultura no bar da AECAH mais o Petrarca da Silva...., era cá uma poesia !!

Adelaide disse...

Veloso, o João Tem razão, afinal andas envergonhado?

António Pedro Malva disse...

Sabia que tinhas uma veia poética, mas venho a descobrir que todo o teu aparelho circulatório é poesia.
Não sou particuar apreciador de poesia, no entanto, gostei muito. Penso que devias publicar.
um abraço

Jorge Rabiçais disse...

Queridos amigos, sem excepção:
- fico-os grato por essas palavras, pois, nada melhor para um criador, do que a admiração e reconhecimento por parte dos demais; desa forma crescemos, melhoramos e tentamos atingir a perfeição - então aí chegados, atingimos o qu eu chamo de orgasmo artístico!
eu prometi, e com especial carinho o fiz, mesmo tendo ganho mais uns cabelitos brancos, que apesar de contribuirem para o charme de um trintão como eu, sempre vão deixando a sua mazela, mas, quem corre por gosto não cansa!
Dessa forma, e com os sublimes comentários, eu babo, só que, só que (repito), não me posso deixar levar pelo entusiasmo nem pelas vossas doces e autoritárias palavras (de alguns pelo menos que dizem: quero mais!), pois eu trabalho!
Ora, hoje uma prosa, amanh~~a um verso e o rapazito não faz outra coisa. assim, e pelo que conheço de alguns, que até comentaram o meu literário dom, e de outros a quem o desafio já foi feito, deverão (esses, tal como eu dotados das artes do devaneio) aparcer por cá com as suas criações...
Eu, escrevi e dediquei porque umas "ninfas assanhas e carentes" puxaram por mim, mas isso não vós dá o direito de ezxigir e muito menos de ficarem na sombra a ver de soslaio as criações cá do poeta...
escrevam e participem que eu sei quem vós sois, e caso não o façam começo a colocar os nomes dos ditos cujos para que se faça uma petição no sentido de os obrigar a participar!
De resto, queridos admiradores, sei que vos toquei e que a minha escrita nãpo vós é indiferente... autógrafos no dia 31 de dezembro numa tasca perto de si!
Obrigado do fundo do coração (é bom sentir o vosso feed back)!
bjinhos e abraços e aos que se calam e sabem falar... avancem, pois este blog faz-se desses passos, por muito tímidos que sejam!
saudações "bloguitas"!

Carlos Solipa disse...

És um autentico poeta, os sais de carvalho é que devem fazer mal.
Um abraço

Graciete disse...

Jorge Rabiçais,
E eu a pensar que tinha sido uma Musa, afinal não passei de uma "ninfa assanha e carente"!
Agora vou olhar para o teu poema com outros olhos.

Mendes disse...

Grande Jorge Rabiçais!
Muito bem, sabia que eras artista, mas não conhecia a tua veia poética. Venham mais poemas.
Um abraço

Adelaide disse...

Afinal, a um criador não é tudo permitido!
enfim, cantando e rindo...

Graciete disse...

Jorge,
A propósito do último comentário que fiz, encontrei uma Redondilha que passo a citar:

MOTE ALHEIO

Minina dos olhos verdes,
Porque me não vedes?

VOLTAS

Eles verdes são,
E têm por usança
Na cor, esperança
E nas obras, não.
Vossa condição
Não é de olhos verdes,
Porque me não vedes.

.....
Mas fazeis-me crer
Que não são verdes,
Porque me não vedes.

Viste como passei a ver o teu poema com outros olhos!

Jorge Rabiçais disse...

estas minhas breves palavras, são, uma vez mais, para os que me comentam - Obrigado!
Mas, em especial, quero-me dirigir às fontes veiculadoras e isnpiradores deste verso (Adelaide e Graciete) que pelos vistos deixaram de gostar do poema pelo comentário que da minha parte lhe sucedeu!
Devo dizer, que, o verso e o comentário têm timings diferentes e sentires antagónicos - se o poema etá no Nádir o comentário encontra-se no Zénite!
Assim, dessa forma, mantenho o que digo e reafirmo poi sé o resultado de um sentir singular - realmente sóis as musas deste blog!
O comentário, na parte das "ninfas assanhadas e carentes", apesar de ser muito carinhoso (foi essa a intenção pelo menos) foi feito antes de eu tomar as gotas... e nessas alturas, fico com as ideias tolhidas...
Para vos compensar, sabendo contudo que males como o que fiz jamais se remedeiam, pois as brechas abertas são de uma profundidade tal, que cicatrizes permaneceram para o resto de vossa vidas... agoraimaginai como me sinto, mal, muito mal..., mas, dizia, nessa vã tentativa e com esse intuito, outro poema surgirá só porque vós existis!
sóis as minhas musas, sois as ninfas calmas e belas que navegais em águas de meu rio!
repito (reformulo): -serei tão breve como um suspiro e tão profundo como o vosso desalento!
volto já!

Graciete disse...

Poeta Sais de Carvalho,
Não tendes de achar que males comenteste.
Os poetas dizem o que sentem no momento, e este não se repete.
Terei apenas de olhar para a realidade que transparece e ofusca do mesmo.

Adelaide disse...

E vou continuando a rir e a cantar! Continua que vais no bom caminho!

Luísa Benevides disse...

Temos poeta! Parabéns ao Sais e às suas musas ou ninfas ou... o que quer que o poeta queira!

JT disse...

Tem,
o amor à Terra do Eugénio de Andrade,
o narcisismo do M. Sá-Carneiro,
o surrealismo de O’Neill,
a pureza do N. Júdice,
a Paixão da F. Espanca,
a genialidade de Pessoa,

Mas de Rabiçais não tem nada

Mendes disse...

Estou a ver que temos muitos poetas aqui no blog. Contudo, o melhor ainda não apareceu por cá: o Martinho e a sua história/poema da "Abundancia". Vem daí Martinho e conta o poema.

Mendes disse...

Estou a ver que temos muitos poetas aqui no blog. Contudo, o melhor ainda não apareceu por cá: o Martinho e a sua história/poema da "Abundancia". Vem daí Martinho e conta o poema.

Graciete disse...

JT, de Rabiçais desconheço por completo mas de Fernado Pessoa, posso encontrar algumas coincidências ou não! Passo a citar:

Autopsicografia

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,
Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

(....)

Manuel Loureiro disse...

Com um Presidente poeta, num país de poetas, tendo passado numa terra de escritores (terceira), como podia no nosso grupo não haver um conjunto grande de gente com a capacidade de escrever e descrever o que lhe vai na alma. Parabéns Jorge, ficamos à espera dos outros, abraço Manel

Jorge Rabiçais disse...

Obrigado Manel, outros virão!

Related Posts with Thumbnails