terça-feira, 11 de novembro de 2008

S. Martinho - Festa de Cortes

Já vai muito tempo, não me recordo exactamente a razão, penso que tinha algo a ver com uma aposta relacionada com o facto de conseguir ou não uma transferência para o ISA, cinco estudantes do DCA passaram de manhã pelo barbeiro e cortaram o cabelo à maquina zero, eram eles o Pedro TAP. o Tó Canedo, o Rochina, o Manuel Frazão, e o Manuel Loureiro.Era dia de São Martinho e estava programado magusto à entrada do lar Masculino. À época vivíamos ainda por ai, eu dividindo o quarto com o Neto Ávila, o Pedro com o presidente, os outros já não me lembro, o que é certo, e nem me lembro muito bem o que motivou aquele movimento, é que decidiu-se que os caloiros teriam de cortar o cabelo, não seria admissível que pessoal do segundo ano estivesse rapado e caloiros não e começou um movimento de recolha de vitimas que eram transportadas ate ás casas de banho e ai eram dadas largas à imaginação de alguns criando imagem deveras invulgares que se tornaram características nos anos seguintes. As raparigas iam pelo mesmo, o nível de alcoolemia era grande e já não havia distinção, era tudo a eito, eu tinha sempre no quarto umas tintas para umas pinturas que tinha a mania de insistir em produzir sem grande resultado e pareceu-me que aquilo ia descambar completamente, no dia seguinte ia ser complicado explicar aqueles cortes ás miúdas e lembrei-me de convencer os restantes que para elas, melhor do que cortar, seria o pintar com os meus guaches os seus cabelos, e assim foi, penso que algumas tão alcoolizadas como os demais insistiram para que também fossem sujeitas a corte e alguma madeixa chegou mesmo a ser cortada.Certo é que, cortes sempre tinham havido, mas a partir dai a festa do magusto de S. Martinho ficou também a festa dos cortes. Não deixava de ter alguma piada ver os caloiros a chegarem à festa, sabendo perfeitamente ao que iam meio enfiado, mas também ansiosos de ver o estado em que iam ficar.O presidente mais uma vez, se lembrou de uma boa medida e mandou gravar numa das tesouras então utilizadas a seguinte frase, de um lado "bom corte e boa sorte" e do outro penso que era a data dessa primeira festa de cortes.Mais uma vez não tenho fotos mas sei que existem, quem as tem e possa que as compartilhe connosco.
um Abraço
Manuel Loureiro

8 comentários:

Adelaide disse...

Finalmente, ficámos a saber a razão da festa dos cortes! No meu ano, todas as raparigas concordaram que além das pinturas habituais se fizesse um corte simbólico, uma madeixas e tal, mas houve alguem que ficou sem franja, tal era a vontade de cortar dos Engenheiros! Penso que a sensação pela qual se passa quando se vai para a Festa de Cortes, supera tudo o resto! Belíssima ideia!

Graciete disse...

Penso que vocês se estrearam, oficialmente, como o corte de cabelo, no nosso ano (1882/1983). As vítimas que por aqui andam poderão confirmar isto.
No ano seguinte, sei que o processo foi aperfeiçoado, e havia pendurado nas paredes, tipo catálogo de cabeleiros, as tendências que poderiam escolher: recta da Achada, nove ilhas, Monte Brasil...
Era um dia muito esperado e de grande confraternização.
E o dia de S.Martinho lembra-me também sempre "os cortes de cabelo".

Presidente disse...

Eu juro, a pés juntos, que apesar de no fim da postagem dizer:"PUBLICADA POR PRESIDENTE", não foi publicada por mim!
A mesma jura serve para a comunicação da Adelaide: não foi publicada por mim!
Os meus colegas administradores são o máximo, fazem de mim o que querem, entram na minha sessão e publicam: eles sabem tudo, eles podem tudo, são uns queridos!
E assim podem continuar a ser!
Sómente não foi publicada por mim!
Ouviram?!
Não foi publicada por mim!

Adelaide disse...

Presidente, em democracia tudo se partilha, o que é dos outros, claro!Ma os teus acessos são melhores!

Mendes disse...

Manel!
Grande história que me fez recordar diversas festas dos cortes. No meu ano de caloiro, a Guigui cortou a fanja à Nandinha e foi uma grande ressaca. Um abraço

Marco Nunes disse...

A festa dos cortes do meu ano de caloiro foi sem dúvida uma das melhores festas que tive durante todo o tempo que estive na Terra-Chã. Tive como barbeiro o meu amigo Gonçalo Dias, que ainda não apareceu no blog. Será que ainda se faz a festa dos cortes? Se sim, devem andar por lá a circular algumas cabeças rapadas porque a época era esta.
Abraços

Bruma das Ilhas disse...

A cerimónia dos cortes ainda se mantém e este ano foi realizada no fim de semana passado (15/11/2008). Como tal, agora é só apreciar, durante uma semana, os Caloiros com os seus bonitos cortes, que não diferem em nada dos primórdios... Já agora lembro que este costume iniciou-se cokm a rapaziada que entrou em 1981/82 e que os realizou no ano seguinte.
Um abraço
Vouzela

JT disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Related Posts with Thumbnails