sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Os Burros da nossa Vida




Homenagem honrada a todos os Burros mortos, vivos ou comidos, vividos em momentos unicos e seguramente com pouca probabilidade de repetição. (Assim esperam os burros...)


A tradição começou nos desfiles da rua da sé, continuou nas garraiadas, passou por casa de alguns e terminou no prato de muitos caloiros com denominação de burrali.


Quem ganhou foi a vizinha que nunca mais lhe comeram as coves da horta....

Bem hajam

11 comentários:

Oli disse...

Quem é o Professor dos Burros?

Presidente disse...

Oli,
O Autor da postagem é o nosso colega Pedro Bento (1990-96).

Muito tenho aqui lido, sobre alguns terem comido carne de burro, já o Malva falou disso, pensei ser uma brincadeira, mas ao que parece não foi...

Veloso disse...

é VERDADE Priser.
Eu estava lá.
Responsáveis; Baco, Cid Fonseca, Artur,
As tunas visitantes consolaram-se com o piteu- BURRULI NA BRASA.

Veloso disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Adelaide disse...

Pois com o cidadão Fonseca, tudo era possível! E em tempos de guerra, não se olha a quem...

Adelaide disse...

Veloso, este Artur era o de Viseu, do meu ano?

Oli disse...

Que causa mais digna há para um Burro que morrer para alimentar uma orda de tunantes esfaimdos após gloriosa e prolongada actuação ao serviço da acadenia?

Oli disse...

Esta é a históra de um Burro que viveu entre os estudantes.
Não viveu como os outros da sua espécie nos serrados, pastando e cobrindo Burras, não senhor.
Foi figura de prôa da Semana Académica;
Fez entrada apoteótica na cidade,
Na recriação da entrada de Jesus em Nazareh foi seguido e olhado com inveja por quem se achava mais esperto que ele;
É costume dos Burros verem a sua pacata vida ser interrompida subitamente por atropelamento numa qualquer noite de nevoeiro na Recta d´Achada. Nesse caso não são reclamados, porque os donos não querem pagar os prejuízos.
O Tobias morreu às mãos das Tunas e ainda hoje o reclamamos aqui como nosso.

Jorge Carvalho disse...

André, que puta de sorte a desse burro... realmente a fama desgraça qualquer ser vivo!

Carlos Solipa disse...

Ainda não havia burros de 4 patas nos desfiles académicos e já eu (de 2 patas) ia de burro para o Satiricom e para a Tweens, por isso a tradição começou mais cedo.

António Pedro Malva disse...

Mas tu ias de burro, porque depois não conseguias trazer a carroça!

Related Posts with Thumbnails