sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

O TERRA CHÃ

Porque a saudade mora não só nas pessoas mas também nos lugares, animais, objectos, edifícios e meios de transporte deixo uma réplica (à falta de uma foto original) do famoso Terra Chã, Seat de 1100 cm3 de cilindrada e fez o papel social de meio de transporte do povo da academia.


Em relação ao original só difere na inexistência de aplicadores de skis por cima da caixa.
O original vinha equipado de origem, isso sim, com um muito prático quebra-vento frontal que encaixava por cima da cabine dos pilotos.
(Sim por que este veículo era sempre pilotado por dois profissionais do volante:
Lembras-te Nuno quando dei sinal de luzes à polícia em S. Carlos porque achei que tinham os médios muito altos?! Vieram atrás de nós e tiveste que soprar ao balão.)

Este quebra vento era mais tipo encosto e permitia que qualquer dois maganos se empoleirassem por cima da cabine.
Estes dois auxiliares de pilotos, podiam então dar uma preciosa ajuda quando se tratava de caçar coelhos à noite à paulada depois de sair da discoteca Jump.
Também servia para carregar com um grelhador oferecido pelo Cidadão da Fonseca carregado de restos de sardinhas grelhadas na última tainada na Quinta de Portugal.


Este carro fez parte da loucura colectiva que levava a carregar num só veículo muita gente, sei lá quantos. Entre 10 e 30 quase sempre, nas viagens entre Angra, Jump, Terra Chã. E também para o Aeroporto nas Lages, quando uma operação Stop contabilizou 8 notáveis colegas, alguns dos quais a dormitar na parte de trás da carrinha que foram ilibados por se tratar da despedida da Xana, com hora marcada para apanhar avião.


Assim se foi fazendo a história deste carro até que em 1998 foi dado como bom de coração (motor), mas muito mal de ossos (chapa e suspensão). A corrosão provocada pelos vários anos de morada em S. Pedro perto do mar ditava o seu fim.

Foi-lhe retirado o motor e num último suspiro deu a volta á iLha num campeonato regional de Rallie do qual não houve notícias mas tenho por certo deu grandes provas.


Numa última homenagem pede-se a quem tiver fotos que as poste aqui.

23 comentários:

Adelaide disse...

se também os carros falassem...

Jorge Carvalho disse...

André,
acho bem que esclareças os menos esclarecidos o porquê de a ti te chamarem André da Terra Chã:
Acho bem que encontre uma fotografia do original, pois de outra forma é imperdoável e, essa seat terra (chã) esteja onde estiver, jamais te perdoará!
Abraço

Joaquim Leça disse...

André,

Esse carro era uma referência para a malta que não tinha transporte próprio, ou seja, a maioria!
E que jeito dava nas noites boémias! Eu que o diga!
;-)
Aquele abraço!

Veloso disse...

caro Andre,
Penso não ter usufruido dos seus gloriosod transportes muitas vezes, mas contudo presto aqui a minha homenagem á Terra "Chã", ao espirito académico do seu dono e as verdadeiras noitesv ébrias desse tempo.

Oli disse...

Obrigado a todos pelos comentários que me deixam sem palavras.
Respondo no entanto ao Jorge porque colocou uma questão para a qual não tenho resposta.
Não sei porque é que nunca tirei uma foto ao volante do Terra Chã.
De facto o carro esteve sempre lá em todas as situações de relevo para mim e para a academia.
As outras pessoas perceberam mais depressa que eu de como era importante o Terra Chã pelo que a minha esperança é alguém ter tirado uma foto.

Oli disse...

Esclarecendo os que não sabem.
Nunca morei na Terra Chã.
No entanto chamavam-me André da Terra Chã porque a carrinha era da Marca Seat Modelo Terra.
Ao símbolo "Terra" que aparecia na porta esquerda de trás alguém acrescentou com autocolante "Chã". Assim, o veículo e eu mesmo passamos a chamar-nos Terra Chã.

António Pedro Malva disse...

André

a famosa Terra-Chã, que eu tive o prazer de conduzir uma vez e na qual vos ia matando do coração, apesar de estar sóbrio! Lembras-te?

Talvez não saibas, mas foi o primeiro carro que conduzi, sem ser o da escola de condução, por isso e por tudo o que este carro me trás à memória, fico com os comentários atravessados na garganta.

um grande abraço

Atlante disse...

Este é o não comentário!!!
Tenho como sabes mil histórias contigo e com a Terra Chã, e mais uns quantos, mais que muitos...
Não partilho neste blog por ter sido banido por alguém que não tem o mesmo espírito que eu ou tu!
Vou ver por quanto tempo este comentário aqui ficará!!
Fred

António Pedro Malva disse...

Caro Fred

conheço-te bem, e como tal, a tua expulção foi para mim uma desagradável surpresa!
Não sei o que se passou, mas parece-me que não tens andado em boas companhias. Mas qto a isso, poderemos falar mais tarde.
No que depender de mim,vou fazer os possíveis para que sejas "readmitido", porque quem te conhece sabe que seria uma mais valia para este Blog.
Agora, penso que não será necessário ser muito inteligente, para perceber que devem haver algumas regras, para que isto funcione bem! e olha que tem funcionado mesmo.
(Alguém dizia que a democracia não é um bom sistema, mas ainda não inventaram melhor!)
Houve alguém que teve a ideia de criar este blog e de convidar o resto da malta a partilhar este espaço. Penso que quem quer estar, deverá respeitar as regas. Penso que nem são muitas. Pessoalmente nem sei quais são e estou cá sempre!
Tem juizinho e junta-te a nós, que eu apelo por ti junto do "dono" (que até é um cota porreirão!)

Oli disse...

Obrigado Fred pelo teu comentário.
Imagino que te custou voltar a este ponto de encontro mas a imagem da Terra Chã (ou da sua réplica) desencadearam fortes sentimentos em ti. Isso foi mais forte que uma pequena questiúncula que, acredita, não fará história a teu respeito. Quem te conhece sabe que está a milhas náuticas de distância acima disso.
Ouve o Malva. Um abração!

António Pedro Malva disse...

Boa André
conto contigo, com o Rabiçais e o com o Veloso, para trasermos de volta o Fred, o Marco e o Coinas.
(Só não tragam espanhóis, que de espanha nem bom vento, nem bom casamento!)
Temos de dar graxa ao nosso presidente que isto passa.

um abraço

António Pedro Malva disse...

Boa André
conto contigo, com o Rabiçais e o com o Veloso, para trasermos de volta o Fred, o Marco e o Coinas.
(Só não tragam espanhóis, que de espanha nem bom vento, nem bom casamento!)
Temos de dar graxa ao nosso presidente que isto passa.

um abraço

Brambas disse...

Ó Malva, mas sou eu a má companhia? Ou o Jorge Tiago? Ou o Sandokan? Mas quem és tu? As tuas incongruências são tais que eu não sei se estarás a falar a sério ou a brincar...

Mas ainda bem que tu és o dono da verdade e da luz. E que nos consegues reencaminhar para o teu"caminho", aleluia Malva, aleluia!

Agora a mesmo a sério, um Bem Haja a todos.

Aliás, Oli, excelentes os teus posts, esses sim, são de louvar a dar os parabéns.

Francisco Barbosa

Atlante disse...

Obrigado a todos os que se poderiam por do meu lado.
Mas este não é um espaço democrático!!! Não quero estar deste lado.
As democracias não têm donos, as democracias têm votações, e espaços de discussão de ideias! Eu insurjo-me contra todos os que calam outros com o seu poder, sem estes terem qualquer direito a defesa. Os julgamentos sem culpa formada eram típicos dos regimes ditatoriais da América Latina dos anos 70/80. Para além disso usam palavras alheias distorcidas em abono próprio.
Nunca fiz nenhum post por não ser antigo aluno, mas actual aluno do DCA. Pelos vistos nunca o farei.
Abraços do Mangas
Fred

António Pedro Malva disse...

Não, Francisco. Não me referia a ti como a má companhia, porque sei que não o és. Mas secalhar até referia, porque me referia aqueles que aparecem anónimos e têm atitudes pouco correctas para com os colegas. Não é esse o espírito que queremos para este espaço.
Tu, e todos os outros que andam por aqui a cirandar, registem-se e partilhem este espaço connosco. É isso que eu quero, e penso que é o que queremos todos.
SEJA BEM VINDO QUEM VIER POR BEM.

Mas deixa que te diga, que eu não sou a verdade e a luz, mas tenho uma opinião diferente da das outras pessoas e é a aceitação dessa diferença que nos enriquece!

Um abraço para ti Francisco

António Pedro Malva disse...

Fred

fiz tudo o que entendi que devia fazer para que te juntasses a nós.
Mas tu assim não queres, e contra a tua vontade nada posso fazer.

Deixa só que te diga que, segundo a minha visão deste blog, não é um espaço para o debate de grandes temas e de grandes ideias. É uma sala de convívio, um ponto de reencontro, para nos rirmos e dizermos uma caralhadas, para nos rir-mos com os outros e de nós próprios.

um abraço Fred e até um dia destes

Oli disse...

Tenho que concordar com o Malva.
Os grandes temas do mundo não são donos deste espaço: nem as ditaduras antigas ou actuais, nem as guerras ou a fome no mundo que teima em não acabar;
Estes ou outros problemas existenciais e filosóficos não são tabu. Mas por muito interessantes que sejam não norteiam os que diariamente (e penso com uma boa dose de humildade) partilham aqui sua intimidade.
Grato Barbosa pelos teus comentários elogiosos.
Saudações académicas a todos.

Atlante disse...

Caros colegas André e António Pedro,
Vejo que não perceberam a minha mensagem. Também não sabem da missa a metade...
Só um exemplo. No inicio existia um mural neste blog, e perguntei aos administradores porque não podia comentar um post do JT, que pelos vistos causou a sua exclusão do blog. A resposta do Presidente foi que ele era o dono e autor deste blog e por isso era ele que ditava as regras. Se um dia, porque vocês escreviam algo que o dito presidente não gostava mas que estava de acordo com os vossos principios fossem banidos sem qualquer satisfação achavam bem?
Eu não!!
Abraços e divirtam-se
Fred

Graciete disse...

Confesso que tenho estado atenta a esta troca de e-mails. Estou aqui neste blog, apenas no papel de antiga aluna, é assim que quero permanecer, e que irei tecer estas pequenas considerações. Não posso deixar de constatar que me entristece o facto de, como disse, ao sermos electrões do mesmo átomo, deveríamos estar todos termo do nosso núcleo, que é o DCA. Contudo, não posso deixar de recordar que existiram situações menos agradáveis, que nos tocaram a todos, e que poderá ter havido, no meu entender, atitudes mais ou menos precipitadas por parte de todos, mas de todos.
Opino e acredito também que, quando há elasticidade nas nossas mentalidades, e colocando de parte o que de menos positivo possa ter existido, que era afinal, o que fazíamos quando estudávamos todos no DCA, que se pode sempre ultrapassar tudo e concerteza, que todos teremos a ganhar com isto, penso eu. Eu teria, certamente.
E estamos aqui para recordar as situações positivas, tal como fazíamos quando andávamos todos pelos mesmos lugares, pela Terra Chã, pelas mesmas salas, pelos mesmos corredores, pela mesma cantina, enfim, pela nossa passagem por esta academia.
Entendo que, se se fechou uma janela, então teremos TODOS de abrir uma porta, para nos unir-nos.
Esta é a minha opinião, naturalmente.
Um Bem Haja, a todos.

Atlante disse...

Olá Graciete,
Compreendo que não podemos agradar a todos, mas ensinaram-me e fui também aprendendo com a vida que tem que haver respeito e boa fé para coexistir, devemos aceitar a diferença.
A ideia deste blog é maravilhosa, mas existem erros que por vezes não têm forma de ser corrigidos. São estes erros que fazem com que muita gente venha visitar o blog e não post nem comente.
Já muitas vezes tive vontade de fazer asneiras e dizer barbaridades, mas para não ofender ninguém nem ser incompreendido (coisa que na blogosfera é muito comum) não o fiz. E a conclusão que chego é que o vosso presidente não é o melhor pessoa para gerir tensões. Salvé Leca.
Cumprimentos
Fred

Graciete disse...

Olá Fred,
Estou plenamente de acordo contigo, quando afirmas que tem haver respeito, boa fé, para nos unirmos e aceitarmos as diferenças, que ainda bem que as existem, porque afinal também fazemos, felizmente, parte de toda a Biodiversidade que existe no nosso planeta. E á na diferença que aprendemos e crescemos.
Contudo, penso que os erros podem sempre ser corrigidos. Poucos serão os que não podem.
Talvez por achar que vida é curta demais para darmo-nos ênfase ao que de menos positivo existe, creio que se fixarmo-nos no que poderemos dar e ganhar, minimizando o que não nos interessa, ficaremos mais tranquilos e a melhor com a vida.
Sabes, também sou contra todas as formas de guerra.
Esta é uma opinião muito sincera.
Cumprimentos

António Pedro Malva disse...

Blá-blá-blá-blá

Vês Fred, afinal sempre encontras-te no Blog quem te ouça e te compreenda e esteja à tua altura para o teu tão aclamado debate de ideias e de pricípios ético-morais e blá-blá-blá...

Eu dispenso-te a minha mãe adoptiva (mas só até te integrares) se isso for condição para ficares e partilhares este espaço connosco!

... afinal já o estás a fazer, só que ainda não deste conta!

Continua

um abraço

Atlante disse...

Eu sei que sou um bocadinho burrinho, mas com pais e mães adoptivos seguirei sempre o bom caminho.
Escuteiros...

Related Posts with Thumbnails