domingo, 18 de janeiro de 2009

E TU?! COMO É QUE OCUPAVAS O TEMPO?

De Manhã
À Tarde


À Noite


Aos Domingos


Nas Férias


Nos intervalos, estudava!

16 comentários:

Graciete disse...

Oh meu amigo Marques,
Ao menos tu és um HOMEM de palavra! E eficiente, que se note!
Prometeste-me e, já e cá, está!

Não tenho cartões, penso eu, mas também andei pela Associação Académica (fui tesoureira), pela casa do Povo (também joguei futebol de salão, mas isto o Mendes há-de contar), pelo Cine Clube de Angra e, há noite, pelo Santiricon e pela Twin’s.
Por isso, as tuas recordações são também as minhas, e de muitos colegas.
Quanto ao estudo nos intervalos, será, quiçá, do mais banal que acontecia!
Obrigada, amigo.

Jorge Carvalho disse...

Marques, como se diz na minha terra, e como sou do norte,sem qualquer tipo de ofensa: puta que pariu...
e eu a pensar que tinha muitos cartões, mas tu abusas, e de facto, eras encartado em todo o tipo de coisa importante lá da ilha...
Gostei de ver, que guardas religiosamente, e EM BOM ESTADO, essas marcas da tua passagem pela Ilha Terceira....
Parabéns pelo teu espólio mágnífico...
FYI: gostei tb da barba... faz de ti um ser... importante, sério, digno, respeitável...
Abraço!

Oli disse...

Vida ocupada com certeza.
TAGUS- Youth Travel???
A cerveja TAGUS patrocinava as viajens da juventude?
Escola Secundária Angra do Heroísmo,
depois: Escola Secundária Padre Jerónimo Emiliano de Andrade, agora...?

Presidente disse...

Nova adesão:

Caro colega,

Aqui vão os meus dados e foto anexada:
Elizabeth Gil
Engenharia Zootécnica 1993/1998
A morada e contactos telefónicos encontram-se mais abaixo.

Cumprimentos,
Elizabeth

Elizabeth Gil Domingues
Caminho de Santo António, 15
9760-099 Porto Martins

Oli disse...

Bem Vinda Elizabeth!
Posta e comenta.

António Pedro Malva disse...

Caro Joaquim

Depois de todas as postagens que fiz, ainda me vens perguntar como passava o tempo?!

Mas brincadeiras à parte, gostava de te dizer que o teu primeiro cartão me deixa um grande amargo de boca e assim sendo, vou aproveitar esta oportunidade para desabafar. Tu és do tempo, em que quem soubesse assinar o seu nome, podia dar aulas. Fosse Continental, das "ilhas", da Madeira, ou do Norte de África. E mais houvessem. Não havia docentes suficientes e devidamente profissionalizados e havia que aproveitar tudo. Verdade?
E assim foi durante muito tempo, e não me parece que tenha corrido muito mal, pois há colegas que estudaram nesse regime e fizeram grandes carreiras.
Até ao dia em que apareceu um iluminado, o Exmo. Sr. Prof. Dr. Álamo Menezes, na altura Director Regional da Educação, e se lembrou de correr das escolas Açorianas, com todos os que não fossem nados e criados nos Açores.
Continentais, e outros, com uma vida dedicada às ilhas, aí com as suas casinhas, com os seus filhos aí nascidos e com intenções de por aí passarem muitos e bons anos, foram mandados embora para as suas terras (como se diz por aqui) com a cona da mãe às costas. Escorraçados dos Açores, tais cães vadios!
É fodido. Olha que nós, nem aos brasileiros, ucranianos, africanos e toda a tropa que por aqui anda somos capazes de fazer coisa semelhante! (e ainda bem, porque tenho orgulho de pertencer a um país tolerante - este país de merda, ou pelo menos com uma classe política de merda, também tinha de ter alguma coisa de boa!). Mas fomos corridos dos Açores!
Levei anos a digerir este sapo e pensava já ter sarado esta ferida, mas tu tocaste-lhe e doeu-me!
Ainda hoje, se soubesse que saía impune, tinha coragem para dar um par de pontapés na boca do Sr. Prof. Álamo, que outra coisa não merece. Não me lembro de nada parecido depois do 25 de Abril e antes deste, só tinha 2 anos!
Desculpem-me os colegas Açorianos, que alguns serão amigos do referido senhor, mas um professor (um grande professor) disse-me uma vez: a dor de corno é fodida mas passa, mas a da ingratidão não passa não!
Gostava que o Sr. Professor Álamo fosse um dos que por aqui espreitam, pois assim, talvez, ouvindo o que se calhar nunca ouviu, reflectisse sobre o mal que fez a muitas famílias.

Desculpem o desabafo

Um abraço a todos

Presidente disse...

Malva!

Quem fala assim, não é gago!
Tens o conforto da minha solidariedade, e admiração, porque quem fala o que pensa, e o faz com razão, é digno de respeito!

Os meus respeitos, Engenheiro Malva!

Abraço
JM

Presidente disse...

Malva,
Outravez eu, por causa do cartão de professor.
Repara que este cartão foi emitido pela Escola Secundária de Angra do Heroísmo, dependente da Direcção Geral do Ensino Secundário do Ministério da Educação Nacional!
Este promenor faz toda a diferença!

Oli disse...

Quando deixei de dar aulas na Escola Secundária vim ganhar metade do ordenado para o Continente e trabalhar o dobro de horas.
O sentimento que tive na altura é que os Açores estavam a perder um razoável professor (ainda assim bem acima da média).
Hoje penso que o Continente ganhou um bom Zootécnico (passe a modéstia).
Não te arrependas Malva.

António Pedro Malva disse...

André

então, sem sombra de dúvida e sem qualquer modéstia, que só faz falta quando é precisa, os Açores perderam dois GRANDES ZOOTÉCNICOS e uma excelente professora de Matemática. Profissionai que trabalham com muito amor à camisola, como já há poucos.

Um abraço

Adelaide disse...

Um espólio destes, é digno de ser aprsentado nos melhores museus de NY!E o cartão da biblioteca do DCA?

Jorge Carvalho disse...

Amigos, eu tb vendi o meu tempo a leccionar... e digo-vos, com toda a modéstia, não sei se se perdeu um grande professor e se ganhou um grande engenheiro, ou o que quer que se tenha perdido ou ganho!
Eu, polémicas à parte, orgulho-me de ter passado pela Escola Pde. Jerónimo Emiliano de Andrade, de ter dado o meu melhor e de, neste momento ter alunos que foram muito para além de mim... só significa que a minha passagem por lá nãos os impediu de terem realizado os seus sonhos, e só por isso, por não ter sido um estorvo, já, com a tal modéstia, me considero ter sido um grande professor...
Bem... abracinhos e beijinhos, e se algum ex-aluno meu por aqui andar um abraço..

Adelaide disse...

Ora, nem mais!!!

António Pedro Malva disse...

Jorge

é mesmo isso que dói. Quando não havia docentes suficientes, pessoas sem as devidas habilitações, dando o seu melhor, conseguiram que outros fossem muito mais além.
Mas quando começou a haver excesso de professores, então os continentais e só porque eram continentais, foram descartados.

Parece-te bem?

Presidente disse...

Malta,
é estranho haver tanto comentário à volta dum cartão de professor.
Tenho lido tanta conversa sobre as noitadas, as idas às discotecas, e ninguém comenta nada sobre a Twins' ou Satiricon?
Será que iam lá? podem provar?
Eu cá, sou como o brasileiro: "mato a cobra e mostro o pau"!

António Pedro Malva disse...

não foi pelo cartão, mas pela poeira que este levantou

Related Posts with Thumbnails