sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Uma sugestão musical

Quem me conhece, sabe que amo a música. Não sou músico, mas aprecio essa língua universal que é a MÚSICA.

Como estamos já de fim-de-semana, sugiro-vos vivamente o novo disco de Pedro Barroso, "Sensual Idade".



Também podem ouvir aqui uma entrevista deliciosa com este Trovador, conduzida pela Ana Sofia Carvalhêda da Antena 1.

Dedico este post ao meu Amigo Jorge Rabiçais, Presidente da Mesa da Assembleia Geral da AECAH no já longíquo ano lectivo 1995/96, que em colaboração com o Presidente da Direcção, Fernando Dias, trouxeram este ribatejano de peso chamado Pedro Barroso como cabeça de cartaz da VII Semana Académica (obrigado, Rabiçais pela correcção!).

Ah e n' "O CÁBULA" n.º 21 de Junho de 1996, este jornal da AECAH trazia uma entrevista deste grande artista realizada pela Sandra "Meireles".

Boa audição!

E ajudem a divulgar a boa música portuguesa!

17 comentários:

Jorge Rabiçais disse...

caríssimo bom e velho amigo,
fico lisonjeado com essa dedicatória tão dirigida à minha pessoa.
De facto, sempre tivesmos gostos musicais que convergiam no tempo e no espaço, no artista e nos temas e, pedro Barroso, é de facto um dos que eu interiorizo com mais intensidade... menina dos olhos de água é uma das poesias que dediquei à Ana Beatriz (minha adorada filha) colocando-a sobre uma foto sua!
Mas, e em abono da verdade, Pedro Barroso, foi à nossa semana académica quando eu era o presidente da mesa da Assembleia, pelo que os louros dessa ilustre visita se devem ao Fernando (presidente na altura). No meu mandato, quem foi o cabeça de cartaz foi o Vitor Almeida e Silva, que na altura tinha ganho, salvo erro (ou então foi finalista) do chuva de estrelas, e esse, se bem me lembro, fez juz ao nome do Zeca Afonso, outro autor qeu ambos apreciamos.
Seja como for, e salvo pequenos pormenores à parte, de facto Pedro Barroso deveria ser legislado para que fosse obrigatória a sua audição pelo menos uma vez por semana, poderia ser que assim esta juventude ficasse mais culta, mais humana, mais embebida do verdadeiro espírito da amizade, solidariedade e tudo o resto que faz do homem diferente dos outros animais - a humanidade!
Obrigado pela dedicatória que sei que é do fundo do coração e "tu sabes que eu sei que tu sabes que eu aprecio".
Aquele abraço

Joaquim Leça disse...

Rabiçais,

Obrigado pelas tuas palavras e pelas necessárias correcções de cargos que já foram prontamente rectificadas no post.
Aquele abraço!

Adelaide disse...

Joaquim, continua que vais no bom caminho!E nós que nas primeiras semanas académicas tinhas os sketches com o ZAP e a Janyne, e o Fado de Coimbra com a Guida, e pouco mais, pois nem sei quando começou a Tuna "Sons do Mar"! Mas espero que me reavivem a memória!

Joaquim Leça disse...

Adelaide,

A tua memória é impressionante! Como é que te lembras de tantas coisas boas? Efectivamente, gostava de cantar o "Tudo isto existe..." com a Guida que carinhosamente me chamava de Orquestrista e claro está, a magnífica imitação de ZAP como Jorge Ferreira e a Janyne como filha. Inesquecível aquele momento de pai/filha no velhinho Teatro Angrense num dos aniversários da então AECA.
Lembras-te do Coro de Santo Amaro de Olheiras numa das festas do caloiro, em que fui o ilustre maestro?
Daí a alcunha de Orquestrista... Que é feito de ti, Guida de Coimbra? Aparece!!!

Mendes disse...

Grande Joaquim Leça!
Não sabia que a AECA na vossa altura contrava artistas para a Semana Académica, pois antigamente era só prata da casa. Lembro-me perfeitamente do espectáculo do ZAP (Jorge Ferreira) mais a Janyne no Teatro Angrense (ou terá sido na Fanfarra Operária ??). Quando é que começa a sair o Cábula?
Um abraço.

Adelaide disse...

O ZAP e a Janyne tinham um espectáculo duplo, tanto dava pai e filha, como filhinha e papai?

Mendes disse...

Oh Joaquim! Á pouco esqueci-me de dizer que a capa do disco é muito sugestiva. Manda mais dessas. Um abraço.

Adelaide disse...

Tendo em conta o comentário acima, Graciete tens de postar o quadro dos HOMENS!

Graciete disse...

Achas que não me vão (alguns)CENSURAR?

já que os meninos gostaram muito da capa do CD ... as Madames merecem um quadro de um HOMEM!

Marco Nunes disse...

De facto, e pegando no comentário da Adelaide, neste blog tem-se falado pouco ou nada da Tuna Sons do Mar de que fiz parte (bem como o João Coinas e o Malva de entre os blogistas registados). Só para "reavivar a memória", foi fundada em Fevereiro de 1991. Francamente não sei se continua activa ou não. Sei que era um espectáculo. Para além de actuações memoráveis (nem sempre pelas melhores razões por causa de alguns desvios ébrios, e aqui faço um mea culpa em algumas situações), fizemos viagens inesqueciveis e os momentos de convivio ficaram "atracados no porto da memória", parafraseando um poeta nosso amigo. Tenho algumas fotos, apesar de poucas e vou tentar digitalizá-las para postar.
Para os mais interessados, consultem http://www.angra.uac.pt/paginatuna/index.htm
Abraços

Jorge Rabiçais disse...

Caro Marco,
sejas bem aparecido com as tuas memórias!
A tua presença tem sido muito reclamada por entidades divinas, mas agora que voltaste, pode ser que os deuses se acalmem...
A história da tuna "sons do MAr", tem e deve ser contada, por isso, os Tunos e as tunas, são aqueles que maior responsabilidade terão nese facto uma vez que viveram por dentro as histórias.
O Malva, Tu, o Gonçalo, Coinas, Ana Rita, Borba, Lucia, Regina, Lourenço, etc, etc, etc e tantos outros que em diferentes gerações fizeram com que nós, e digo e repito, nós, apesar de por vezes alguma crispação (mais por causa da inveja e ciúme, tanto nos orgulhassemos desses sons...
eu, fui um amante secreto e eufórico, calado e entusiasta da tuna, onde em plenas contradições fui batendo palmas às vossa actuações... só tenho um amargo de boca (só um mesmo)- esse CD que nunca saíu!
Força Marco, apresenta as tuas "estórias" para que elas fiquem "atracados no porto da memória", como esse teu amigo disse... lol
Aquele abraço!

Fred Teixeira disse...

Dada a minha recente reaventura por terras dos Bravos, reconheci que a mui nobel e sempre altiva Tuna Sons do Mar continuava activa ao mês de Março do ano transacto. Agora com a concorrência feroz de outras 3 tunas do universo estudantil terceirense. Mas dos espectáculos das 4 tunas que tive a oportunidade de assistir na minha sabática de 6 meses de volta à nossa querida academia, reconheço que a Sons do Mar é uma sombra dos seus tempos áureos.
Talvez no próximo encontro dos antigos alunos se possa organizar um despique entre os antigos membros e os actuais e aí mostrar qual o verdadeiro espírito.
Saudações académicas.
Fred

Graciete disse...

Marco,
Com ou sem memórias, sejas bem aparecido!
As Deusas estão a enfurecer o Rabiçais!
Tens de vir dá uma ajudinha, que ele não aguenta a pressão!

Jorge Rabiçais disse...

Graciete,
:-) só tu!
És realmente uma DEUSA!

mario disse...

Bom caros amigos... em 1990 surgiu a primeira semana académica a qual tive a honra de fazer parte.. nessa semana académica actuei com um grupo académico, que mais tarde iria dar origem à tuna sons do mar, que infelizmente nao fiz parte, pois pedi transferancia para Évora..

Lembro.me que era o Pajó na trompete, havia uma clarinetista tb de S.jorge, guitarra e eu ao "piano". ehhe
um abraçao
mario moita
www.mariodimoita.com

Adelaide disse...

Olá MArio Moita sejas bem vindo ao nosso blog! MAs tens qe enviar os teus dados e foto para o mail da Associação: aaacaua@gmail.com

Mendes disse...

O Mário Moita também era um grande castiço. Ainda este ano recebi um e-mail com imagens dele a dar um espectáculo de piano em Espanha.

Related Posts with Thumbnails