sábado, 13 de dezembro de 2008



É isso mesmo. Tal lagarta que se transforma em borboleta, assim eu me transformei ao passar pelo DCA.
Cheguei em Outubro de 92, com a mania de que tinha o rei na barriga, convencido, capaz de enfrentar o mundo e arredores sozinho! Não queria ser praxado e só queria que me dessem um cantinho só para mim. Aquele bando de abutres não me largava (Veloso, Rabiçais, Carlos General, Filipa, Ingride e mais outros tantos, que esta folha não chegaria para enumerar) e houve uma altura em que se pudesse tinha-lhes dado um enxerto de porrada dos grandes… mas eles eram tantos! Que podia eu fazer? Quando muito, ser eu a levar!

Resignei-me. Deixe-me ir na onda e eles deixaram de me chatear. Conquistei o meu espaço, fiz amigos e fiquei conhecido (se por bons ou maus motivos, deixo ao critério de cada um). Os que mais me atormentaram são os que mais e melhores recordações me deixaram. Tenho a certeza que também se passou o mesmo com os que praxei, pois são estes (os que me praxaram e os que praxei) os meus melhores amigos!

A transformação foi de tal ordem que fiz questão de sair como entrei: sendo praxado. Estas fotografias, não são da minha entrada. Não da minha saída. Na minha noite de cortar o cabelo aos caloiros, fiz questão de que me cortassem o cabelo a mim também. Cada amigo, teve o privilégio de dar uma tesourada.

As fotos são do dia em que entreguei estágio, 27/11/1997. Fui praxado, como no primeiro dia e não foi a brincar. Tive de fazer strip, fui pintado e vestido de mulher. As minhas cuecas foram retalhadas e leiloadas de tal modo que tive dinheiro para beber toda a noite! Por isso, nem tudo foi mau.

O que quis, foi dar uma prova de humildade, valor que adquiri nos 5 anos de curso e que me regido ao longo de todos estes anos. Por isso, só tenho de agradecer aqueles com quem convivi e comigo passaram por esta etapa das nossas vidas.

Obrigado a todos

12 comentários:

Jorge Rabiçais disse...

MAlva, Malva,
bem haja a tua forma de encarar a vida e este blog!
eu, como tu bem te lembras, lembro-me da tua praxe e digo-te, a quem apetecia dar porrada era a minh apessoa à tua, pois eras um caloiro duro de roer e, acima de tudo, no início, com uma falta de espírito de tal grandeza que superava todo o bom senso de qualquer praxador de eleição. tiraste do sério muita boa gente mas, felizmente, com o decorrer do tempo encarreiraste e hoje és o homem que és e eu gosto disso e de ti, pois admiro não aquele que tá errado ou certo, mas aquele que tem capacidade para corrigir a trajectória - isso é grandioso e isso tu fizeste!
Mudaste muito, apenas mantiveste essa fisionomia, que não se muda, aceita-se, e nesse particular continuas como sempre FEIO!
a tua despedida, não assisti, mas a ver pela foto, tenho pena, muita pena mesmo... oh se tenho!
Aquele abraço!

Presidente disse...

E-mail recebido:

Viva:
Aqui vai a inscrição da "patroa"

Emiliana Silva (Nini)
Ano de entrada 1982
telm 9-------
emiliana@uac.pt

Abraço

Veloso disse...

Caro malva.
A tua grande vitória nessa praxe inicial foi a visita a casa de banho, do C-9.
Muito obrigado Amigo
D. Veloso

Isabel Alvaro disse...

Lembro-me bem desses tempos!!! aliás aproveito aqui, para corrigir a minha entrada/saída do DCA - 1992/1999.
Adorei as tuas fotos, por aquilo que escrevestes e em que eu também participei desde o inicio ao ultimo dia (ainda me recordo dos preparativos da tua festa de despedida, em segredo para fosse surpresa ……), mas também porque, nestas fotografias reconheci a minha casa, a minha sala, o meu peixe, as cortinas amarelas e até imagine-se, a minha cadela.
Estive lavada em lágrimas até te reconhecer lá atrás, de lacinho cor-de-rosa e sombra azul nos olhos.
Valeu Pedro, adorei,citando o nosso amigo Joaquim Leça, “Obrigada por me teres lembrado desses dias inesquecíveis !!!!”

Isabel Alvaro veloso

Graciete disse...

Nini, que alegria que tive de ver-te aqui.

Carlos Solipa disse...

Como sempre, rodeado de grandes febras, provavelmente comes-te algumas.

António Pedro Malva disse...

Graciete e presidente, vão fazer esse comentário para outra postagem. Xô

À Isabel (sempre em primeiro) ao Rabiçais e ao Veloso, quero dizer-vos que em meu entender, são estes momentos que fazem este blog valer a pena.
As lágrimas da Isabel e o lamento do Jorge por não ter estado presente... só não me lembro da "casa de banho do C9", e também pensava que aquela festa tinha sido improvisada!
Eu mudei mesmo, e Jorge, deixa-me dizer-te que foi por dentro e por fora, infelizmente! Quem me dera ter-me mantido tão "feio",como era naquela época!
um abraço

Veloso disse...

Meu caro malva,
mas eu lembro-me perfeitamente bem dos teus 1ºs dias no DCA - C9
Abraço grande
Veloso

António Pedro Malva disse...

também eu! Não fosses tu tão maior do que eu e probavelmente terias sido um dos que levavas o enxerto!

...mas foi só no início!

Jorge Rabiçais disse...

"uns dos que levavas o enxerto", dá a entender que alguém levou esse enxerto... eu estáva lá e não me lembro de nada, que tu ameaçavas ameaçavas mas não me apercebi dos actos... enxertaste alguém?

António Pedro Malva disse...

Jorge, eu sou maluco, mas um maluco prudente.

Vontade eu tinha, e honestamente, não foi nada que não me passasse pela cabeça, mas sempre soube medir os meu actos! E por isso, que me lembre, nem cheguei a ameaçar ningém, muito menos chegar a vias de facto! "Olha o meu".

No meu ano, não houve violência, nem mesmo por parte daqueles que a buscavam a todo o instante. Mais tarde, é que houve um problema grave, entre um "indio" e o "Macho". Lembras-te?

Veloso

parece que começo a recordar-me da conversa na casa de balho do C9! Não me recordo dos detalhes, mas acho que foi daí em diante que começaram a aparecer alterações...
Aviva-me a memória, pf.

um abraço

Susana disse...

Tudo ao monte e fé em Deus! Era o lema. Mas eu conheço algumas alminhas nesta foto..lol.
Belo momento kodak.

Related Posts with Thumbnails