sábado, 22 de novembro de 2008

Partidas do destino

Estava hoje a fazer as minhas compras semanais no mercado de Portimão sempre com o cigarro no canto da boca, apagado claro está pois a ditadura dos não fumadores não é para brincar, embrenhado na escolha entre nabiça ou os grelos quando um homem, na casa dos quarenta e tal, se dirige a mim:
- Tu não estudaste na terceira no DCA?
Fiquei sem fala, tentei rapidamente passar em memoria todos os meus ficheiros, nada. Nada me apontava para a identidade do meu interlocutor. Foram segundos até ouvir:
- Sou o Pedro, Paquito quando te vi de cigarro no canto da boca não tive dúvidas que serias mesmo tu.
Tanto tinha procurado, mentalmente tinha já refeito a sua fotografia com upgrade na expectativa de um dia me poder cruzar com ele pois sabia que poderia estar por perto, mas não estava à espera ou não estava preparado.
Mas, o Pedro estava ali à minha frente o mesmo que há 26 anos partilhou comigo a casa, as aulas , a diversão, as bebedeiras, as diabruras, as privações, as frustrações, as angustias, enfim tudo.
E, eu, desajeitado fui incapaz de lhe dar o abraço que verdadeiramente imaginei durante todos estes anos.
Estou a aproveitar este nosso espaço para lho dar publicamente e convosco como testemunhas.
Curioso depois de tanto tempo em que o DCA foi somente uma lembrança, grata mas dolorosa por ter deixado de manter contacto com quase tudo que a ele diz respeito, que no espaço curto de três meses passe não só a fazer parte do meu dia a dia como tenha tido este encontro "acidental" com o Pedro sobre quem até já tive oportunidade de escrever neste blogue.

Alberto Freitas

9 comentários:

Presidente disse...

Ó meu caro Alberto,
Só pode ter sido a ternura dos quarenta, a responsável por uma leve emoção que senti ao ler o teu post.
Estamos mais velhos, bastante, o almoço em Leiria e agora o convívio no blog, fizeram retroceder no tempo, por momentos senti-me mais novo, mas estou mais velho. 29 anos mais velho que o meu primeiro ano no DCA. Ontem conversei aqui no Chat com o meu colega e amigo Zé António Neto Ávila, ficámos só nós dois, e ele ainda sente a falta do almoço de despedida, amargamente fala da forma como nos afastámos todos, cada um para seu lado.
Depois da conversa com o Zé Neto, e de seguida lendo agora este teu post, emocionei-me: a puta da vida dá tanta volta, crescemos tanto, tantos amigos fizemos depois do DCA, mas... amigos como os que fizemos no DCA, eu fiz poucos!
Amigos de verdade, sem maldade!
Foi o que senti em Leiria e agora aqui no blog.
Obrigado Zé e Alberto.

Graciete disse...

Niger, assim o serás sempre para mim.
Para além da alegria imensa que me dá todas as vezes que por aqui apareces, quero dizer-te que o teu post, me arrepiou.
Ontem, quando ainda estava no chat em conversa com o Marques e Zé António Neto Ávila, o Neto perguntou-se se eu sabia alguma coisa do Pedro (Paquito). E era tão sentida a vontade que expressava, e eu nem nada lhe poder dizer!
Por isso, hoje arrepiei-me!

Adelaide disse...

Que os braços que dão este abraço consigam abraçar todos os que um dia passaram pelo DCA e que sentiram o Espírito que um dia nos uniu, mas que felizmente hoje podemos confirmar que ainda nos une!
Mais uma lembrança de um, que é de muitos e que nos arrepia!

Dina disse...

meus amigos. andei sem computador aki por casa e no serviço cheia de trabalho a resolver tretas..que nao sao mais que tretas técnicamente, mas que se nao forem resolvidas os pobres dos agricultores terao penalizações.Filho da P..., este país da burocracia, e que nós já fazemos parte dele.
Li tambvem com alguma emoção esta postagem, sem saber quem no fim a assinaria. Penso que já tinha escrito algures que o Paquito estaria pelo Algarve..e tb foi com muita alegria que há dois ou tres anos e encontrei na piscina da Lagoa. confesso que estava á espera de que assinasse a postagem o Cassinelo ou o Costinha. Falei com o Joao pelo telemovel á uns meses...e depois depois de 25 anos. Claro que ele nao fazia a minima ideia quem eu era...no inicio.lol.Será que o Joao sabe que estamos por aki. Quanto a ti Niger..não andas em FAFE..ou eu já tou baralhada?? bjinhso

dina

Carlos Solipa disse...

Niger, há muitas coincidências, pois ainda há pouco tempo perguntavas por ele e o destino quis que se encontrassem, esse abraço foi de todos.

Alberto Freitas disse...

Dina, as minhas origens são de Fafe mas eu actualmente vivo em Portimã. A idade afinal ainda não fez estragos. O João Cassinelo ja foi convidado a integrar este blogue, eu mesmo lhe enviei dois convites, mas não perde pela demora que já tenho pensado numa forma de o "entalar". Depois conto.

Graciete disse...

Niger,
Directamente de Fafe
Prá Terra Chã
Veio uma espécie rara
É o Niger..
......
Lembraste?
Com o Cassinelo à viola e um coro de boas vozes!

Fernanda disse...

Nijer, simplesmente adorei o teu desabafo público.

Raquel disse...

O Sr. Eng Alberto freitas estudou no DCA e é de Portimão?! Eu tb estudei no DCA e sou de Portimão!!!
Foi foi uns anos mais tarde de 97 a 2003.

Related Posts with Thumbnails